Colunistas

A valorização que advém da dor: quando sofrer se torna uma opção

Jéssica Horácio de Souza

Psicóloga Jéssica Horácio – CRP 12/14394

Psicoterapeuta Corporal e Tanatóloga

Tem escolhas que são muito cruéis com a nossa realidade, já percebeu? Temos comida na mesa, cobertores quentinhos, roupas confortáveis… Mas às vezes lá estamos nós passando frio, sentindo fome, desconforto, dor. E não estou falando sobre fazermos essas escolhas conscientemente mas sobre o nosso inconsciente contribuir para que estas situações façam parte do nosso dia a dia.

Dengo Produtos de Limpeza
Maderonchi
Posto Bravo
Net Lider
Contape

Não é raro alguém procurar a psicoterapia para conseguir entender o porque de sua vida ser tão difícil: “Eu tenho tudo mas ainda assim tudo dá errado pra mim!”, “Eu não entendo porque tudo o que eu faço envolve tanto sofrimento”, “Eu fico com medo quando tudo está bem porque sei que logo algo ruim vai acontecer”…

O interessante é que estes relatos sobre as dificuldades sempre vem acompanhados de uma palavra de orgulho e de admiração: “Tudo o que é difícil é mais valorizado”, “Eu sou quem sou por causa das dificuldades pelas quais passei”, “A gente só valoriza a vida quando passa pelas dificuldades”… É contraditório porque por mais que a pessoa queira se libertar das sucessivas dificuldades que a acompanham, ela também se enaltece por viver essas dificuldades. Então como poderemos eliminar um padrão existencial se ainda nos beneficiamos deste padrão?

Se tratando deste contexto, a vida profissional geralmente traz consigo um cenário de dificuldades e até mesmo de sofrimento onde existem situações envolvendo humilhação, impotência, e até mesmo assédio moral. E mesmo que o emprego seja bom, a pessoa inconscientemente encontrará alguma forma de boicotar o seu bem estar e se colocará em alguma posição que exige muito de si, por exemplo.

Se você até aqui você se indentificou com este texto, então responda as duas perguntas a seguir:

  1. o seu jeito de trabalhar precisa ser difícil para ser considerado importante?
  2. O que você faz e a forma com a qual você vive precisam doer para você sentir que merece reconhecimento e valorização?

Bem, se as respostas foram “SIM” é porque provavelmente você está reproduzindo alguma crença que existe dentro do seu sistema familiar, ou seja, passar por sucessivas dificuldades e sofrimentos foi a forma que você encontrou para se valorizar uma vez que inconscientemente percebeu que algum membro da sua família se beneficiava desta forma de viver. Logo, uma vida sofrida é aquela que faz sentido para você.

Todos os seres humanos querem se sentir pertencentes a algum grupo ou sistema, só que às vezes a forma que nós encontramos para pertencer é adotando papéis que não combinam com quem somos e até mesmo se colocando em situações envolvendo algum tipo de sofrimento.

Então, se você percebe que as dificuldades te acompanham incessantemente, te convido a observar quais os ganhos secundários que você tem em viver todas estas dificuldades. É fato que não temos controle sobre tudo, mas temos sobre algumas coisas e é este controle parcial que nos ajuda a amenizar as adversidades da vida. Mas para isso ele precisa ser utilizado a nosso favor e não para reforçar o nosso papel de sofredora ou de sofredor.

Existem outras formas mais saudáveis de receber reconhecimento, de se valorizar e também de pertencer à algum sistema, quem sabe esteja na hora de você descobrir que dor e amor não precisam estar necessariamente associados.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Marka final pauta
Dengo Produtos de Limpeza
Coopera Rodapé

Portal Forquilhinha Notícias. Acompanhe os fatos mais importantes de Forquilhinha em Santa Catarina assim que eles acontecem.

Copyright © 2016 Forquilhinha Notícias.

Topo