Prefeitura Capa Meio
Andreza de Oliveira

“BEBA-ME”: quais histórias acontecem dentro de sua casa?

Hoje, uso este espaço para divulgar um belo trabalho artístico desenvolvido em Forquilhinha. Durante o ano de 2018, por 5 meses um grupo de 6 mulheres reuniu-se semanalmente para tentarem elevar sua autoestima, reconstruir suas vidas e tornarem-se autoras de sua história podendo escolher o final que  desejam.

Este grupo se autodenominou “Sankofa”, que é um ideograma africano que significa: aprenda com o passado e nada melhor para identificar um grupo de mulheres que foi vítima da violência e que conseguiu quebrar este ciclo, pois olhar para o passado e refletir sobre  os fatos  pode servir como estímulo para não repetir padrões destrutivos.

Com o apoio da Secretaria de Assistência Social do município de Forquilhinha e da equipe de profissionais do CREAS, as mulheres que ousaram sonhar e se reerguer como a lendária Fênix, que surge das cinzas; puderam vivenciar experiências fortalecedoras da sua autoestima.

Da Soler Selo
Contape
ES Academia
Spilere Serralheria
Dengo Produtos de Limpeza
Maderonchi

Como arte educadora pude trabalhar neste projeto e contribuir no desenvolvimento do grupo, juntamente com a psicóloga Joseane Nazário, que também é coordenadora do CREAS, num casamento entre arte e psicologia e assim ajudar as participantes a superar os traumas sofridos nos antigos relacionamentos.

Este projeto culminou numa instalação artística que tem como principal produto “scketchbooks” artesanais feitos pelas próprias mulheres e que carregam o relato de sua vida, seus sofrimentos, o rompimento do ciclo da violência e a reconstrução da sua história.

Escrevo sobre esta exposição para divulgar e convidar à todos para  prestigiarem esta bela e forte composição, mas também para entendermos que a arte não serve apenas para embelezar espaços, ela é há muitos séculos usada como uma forma de manifestação social e política, utilizar a arte para expressar sentimentos e pensamentos é libertador e transformador. Essas mulheres usaram suas histórias para encorajar outras mulheres que vivem situações iguais a se libertarem e buscarem ajuda, transmutaram seu sofrimento em arte.

E, por fim, um dos objetivos dessa exposição é trazer  reflexão para toda a sociedade: Qual o papel que exercemos frente às violências: O papel de cúmplice, que faz de conta que não vê? Ou o falso “juiz”, que condena a mulher? Será o lugar da vítima amedrontada pela situação na qual está presa? Ou o do agressor, que  se sente no direito de violentar as mulheres?

Vamos falar sobre o assunto para por fim nesta situação insustentável e não aceitável nesta época da história e vamos usar a arte para isso também e desta forma dar vida e utilidade aos espaços culturais e aos movimentos artísticos.

É possível realizar visita guiada com  data marcada e para as escolas e grupos de estudos é possivel realizar visitação a noite.

A exposição “Beba-me” ficará até 7 de maio no Centro Cultural de Forquilhinha, localizado junto ao Parque Ecológico São Francisco de Assis, no Bairro Saturno, e estará aberto para visitação das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Estudantes prestigiando a exposição, no Centro Cultural de Forquilhinha

Denuncie casos de violência contra a mulher pelo Disque Denúncia: 180

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Spilere Serralheria G
Dengo Produtos de Limpeza
Marka final pauta
Coopera Rodapé

Portal Forquilhinha Notícias. Acompanhe os fatos mais importantes de Forquilhinha em Santa Catarina assim que eles acontecem.

Copyright © 2016 Forquilhinha Notícias.

Topo