Prefeitura Capa Meio
Colunistas

Um jogo e já podemos afirmar: que falta faz Dodi

Câmara de Vereadores

Se existia alguma dúvida de que Dodi faria falta ao Criciúma, ela foi confirmada logo no primeiro jogo pós saída do volante para o Fluminense. Entre os defeitos estruturais que o time apresentou na derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta, um foi notório: a ausência de alguém que progredisse na saída de bola.

Se a dupla Liel e Barreto já não empolgava muito à primeira vista, a contusão do segundo, ainda na etapa inicial, provocando a entrada de Jean Mangabeira, diminuiu ainda mais as expectativas quanto a um jogo mais dinâmico na primeira linha de meio de campo.

O que se viu durante boa parte dos 90 minutos foi um time lento na saída de bola e que trocou poucos passes – segundo dados do Criciúma Scouts, no Twitter, foram 265 certos ao longo do jogo.

Contape
DM Seguros
Spilere Serralheria
Dengo Produtos de Limpeza

E o interessante é que entre os jogadores que mais acertaram passes estiveram Sueliton e Marlon, outro reflexo claro do peso da ausência de Dodi. O Criciúma circulou muito a bola na sua intermediária defensiva em busca de espaços e parava muito em seus laterais, que eram os únicos que conseguiam progredir, muitas vezes com lançamentos.

A Ponte Preta está longe de ser um time brilhante. Não é exagero dizer que está num patamar semelhante ao Criciúma. Basta ver que na pressão, sem muita inspiração e com bastante transpiração, o Tigre quase arrancou o empate e fez o bom goleiro Ivan trabalhar em algumas oportunidades. Se com essa flagrante adversidade na saída de bola quase veio ao menos o empate, com alguém capaz de substituir Dodi a altura poderíamos estar aqui falando de uma vitória.

Porém, a perspectiva para suprir essa ausência não é das melhores. No elenco, o Criciúma não tem uma peça que se assemelhe a Dodi, com capacidade de aceleração tendo a bola nos pés e capaz de fornecer ações mais ágeis após a retomada.

Tomando esse primeiro jogo como parâmetro, restam duas soluções:

  1. Ir ao mercado contratar alguém para articular a saída de bola do Criciúma. Era algo fora do planejado, pensava-se muito em reforçar o elenco, mas não em repor uma saída;
  2. Ou alterar o modelo de jogo, com uma saída lateral mais forte. Com volantes de pouca capacidade de infiltração pelo passe e com a condução da bola e, pior, com lentidão nas ações ofensivas, é simplesmente impossível jogar;

É contratar ou mudar convicções. O Criciúma se vê nessa encruzilhada se não quiser continuar refém da saída de um atleta e ver a briga pelo acesso escapar já na primeira parte da Série B.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Marka final pauta
Spilere Serralheria G
Dengo Produtos de Limpeza
Coopera Rodapé

Portal Forquilhinha Notícias. Acompanhe os fatos mais importantes de Forquilhinha em Santa Catarina assim que eles acontecem.

Copyright © 2016 Forquilhinha Notícias.

Topo