Raríssima Cabeçalho
Infraestrutura

Conselho comprova fim do mau cheiro na Estação de Tratamento de Esgoto da Santa Luzia

A pedido do Conselho Municipal de Saneamento Básico (Consab), nove dos 16 integrantes da entidade vistoriaram a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do bairro Santa Luzia, em Criciúma. O objetivo era checar os resultados da reformulação realizada pela CASAN para eliminar o cheiro exalado pela unidade.

Coopera
Cia da Saúde
Contape
Spilere Serralheria

“Passo sempre em frente da Estação e, depois da reforma, já parei o carro para tentar sentir o cheio de antes, mas não senti mais”, disse Luiz Juventino Selva, presidente do Conselho, após a visita realizada no início do mês, traduzindo também o sentimento dos demais integrantes da comitiva. “Mudou e melhorou muito.”

O Consab tem caráter consultivo das atividades decorrentes da execução da Política Municipal de Saneamento e auxilia na elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico. Durante a inspeção, o superintendente Regional de Negócios Sul/Serra da CASAN, Vilmar Tadeu Bonetti, mostrou em um recipiente a qualidade do efluente tratado, que cumpre todas as exigências legais e ambientais.

“Foi muito melhor do que eu esperava, realmente estão de parabéns por este investimento. Não tem nenhum tipo de odor”, disse o engenheiro Guilherme Colombo, chefe de Departamento da Secretaria de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana.

A melhoria com o novo sistema de aeração, conhecido como Lodos Ativados, deixou no passado as reclamações de maus odores da população.  Se no sistema anterior, de Filtros Percoladores, a aeração era feita de maneira natural, a nova estrutura utiliza um sistema mecanizado com aeração forçada, por meio de sopradores de ar. Este novo sistema proporciona mais aeração, evitando a geração de odores, mais comum em sistemas com pouco oxigênio.

A tecnologia usada na ETE Santa Luzia é semelhante à aplicada no tratamento de esgotos da Barra da Lagoa, em Florianópolis. A mudança no sistema de aeração exigiu também alterações estruturais nos tanques existentes, para que estes aumentassem sua capacidade.

A obra que começou em abril do ano passado já se encontrava desde fevereiro em pré-operação.  Em julho passado, o diretor-presidente da CASAN, Valter José Gallina, visitou a ETE com vereadores do município e a imprensa para mostrar os resultados do investimento de R$ 4,6 milhões na revitalização da unidade.

Francine Ferreira – Arley Reis


Topo