Debate

Ministro da Justiça lança o projeto “Mulheres Livres” em Santa Catarina

O ministro da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Torquato Jardim, estará nesta sexta-feira, 26, em Florianópolis, para o lançamento do projeto “Mulheres Livres”. O ato de assinatura do Termo de Cooperação será realizado no Centro Integrado de Cultura (CIC), às 10h, com o governador em exercício, Eduardo Pinho Moreira e a secretária de Estado da Justiça e Cidadania, Ada Faraco De Luca. Santa Catarina é o segundo estado a aderir ao convênio, até agora ele foi implantado no Paraná.

O “Mulheres Livres” trata da inclusão na proteção social da mulher presa egressa do sistema prisional, garantindo assim a sua  reintegração ao mundo do trabalho. Instituído pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão ligado ao Ministério da Justiça, o programa surge com o objetivo de desencarcerar mulheres privadas de liberdade que estão gestantes ou são mães de crianças na primeira infância.

O mais importante é que o “Mulheres Livres” não se encerra na fase de soltura de mães detentas. A proposta é oferecer assistência jurídica e treinamento profissional para que essas mulheres se tornem economicamente independentes. “É um projeto nacional, prioritário, que merece todo nosso apoio e atenção. Vamos lutar para colocar essa ideia em prática em Santa Catarina, que hoje tem  979 mulheres presas. Ressocializar a população carcerária sempre foi nossa bandeira”, ressalta a secretária da Justiça e Cidadania, Ada Faraco De Luca.

Maderonchi
Posto Bravo
Star Seguros
Dengo Produtos de Limpeza
Contape
Banana Motos

“O projeto também complementa nosso trabalho de atenção a mulher presa, que estamos implantando desde 2011 na SJC, com um planejamento a médio e longo prazo. Agora, no dia 30, entregamos a Penitenciária Feminina de Criciúma, e estamos construindo mais três unidades nos municípios de Chapecó, Itajaí e Joinville, todas com creche, berçário, e espaços para o estudo e trabalho, estruturas adequadas ao público feminino, totalizando 1.144 vagas”, complementa a secretária da Justiça, Ada De Luca.

De acordo com o Ministério da Justiça, o Mulheres Livres se divide em quatro fases. A primeira coleta dados sobre o processo criminal; a segunda avalia a situação de cada uma das presas; a terceira julga e concede liberdade; e a quarta fase oferece assistência social e capacitação para que as egressas consigam chegar ao mercado de trabalho. O programa funcionará com apoio das Defensorias Públicas, órgãos federais,  estaduais, e municipais além do Judiciário e empresários.

A assessora Especial do Gabinete do Ministro, Dra. Maria Filomena de Freitas, e a coordenadora de Promoção da Cidadania do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Dra. Mara Fregapani Barreto, também integrarão  a comitiva do Ministério da Justiça que promove o projeto “Mulheres Livres” em todo o Brasil.

Francine Ferreira – Denise Lacerda

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Marka final pauta
Dengo Produtos de Limpeza
Coopera Rodapé

Portal Forquilhinha Notícias. Acompanhe os fatos mais importantes de Forquilhinha em Santa Catarina assim que eles acontecem.

Copyright © 2016 Forquilhinha Notícias.

Topo