Alerta

Artrose de joelho pode ser tratada com “ondas de choque”

Quando o assunto é artrose de joelhos, estimativas apontam que mais de 80% das pessoas acima de 75 anos sofrem com o problema, que costuma aumentar com a idade. As mulheres têm o dobro de chances de desenvolver a doença que pode ser classificada como primária (quando não tem uma causa identificável) e secundária (quando há identificação). As causas incluem o excesso de peso e lesões crônicas de menisco e ligamento.

Conhecida também como osteoartrose ou ostetoartrite, a artrose é uma doença de caráter inflamatório e degenerativo das articulações (juntas) do organismo que ocorre em função do desgaste das cartilagens que revestem as extremidades ósseas. Além de causar dor, pode levar a deformidades. “As articulações mais atingidas são as que suportam peso, como a coluna vertebral, os quadris e os joelhos”, destaca o médico ortopedista e traumatologista Joaquim Reichmann.

A dor no joelho é o primeiro sintoma e esse desconforto é progressivo, acentuando-se com a atividade física e alguns movimentos como, por exemplo, subida e descida de escadas, esportes de contato e movimentos repetitivos. Em seguida, o joelho fica inchado. O responsável por esse edema é o processo inflamatório da membrana sinovial (membrana que recobre a articulação do joelho) que reage com a presença dos restos cartilaginosos, produzindo um líquido viscoso e amarelado.

Posto Bravo
Star Seguros
Banana Motos
Contape
Net Lider
Dengo Produtos de Limpeza

Logo que o edema sinovial torna-se importante, a pressão criada acentua as dores na parte posterior do joelho. Nessa fase há perda progressiva do movimento. Nas artroses avançadas, as deformidades do membro inferior são o terceiro sinal. Elas podem ser em varo (joelho cambota) ou valgo (joelho em “x”), impedindo que a pessoa caminhe normalmente. A utilização das bengalas pode tornar-se indispensável e a rigidez articular pode ser o sintoma mais tardio.

A artrose pode ser prevenida com hábitos saudáveis, como por exemplo, controlar o peso, manter uma alimentação variada e equilibrada e mudar de postura com frequência, visando evitar posições que sobrecarreguem as articulações. A prática de exercícios como caminhar, nadar, pedalar e fazer ginástica em ritmo moderado também contribuem para prevenir a doença.

As radiografias simples são indispensáveis para o diagnóstico e classificação das artroses. Outros exames de imagem como a tomografia computadorizada, a ressonância magnética e o ultrassom auxiliam no diagnóstico diferencial de lesões por outras doenças reumáticas, mas pouco informa sobre a artrose.

Tratamento por onda de choque

Entre as técnicas modernas utilizadas para melhoria da artrose está o Tratamento por Ondas de Choque (ESWT). O procedimento auxilia no controle da dor, promovendo aumento da circulação de células de defesa no local, o que ajuda na melhora do processo inflamatório e restaura parcial ou quase totalmente a função da articulação doente.

Reichmann, explica que a onda de choque (ou onda de impacto) é um pulso sônico ou uma energia cinética. Elas agem de diversas maneiras, podendo ser por ação mecânica, causando formação de microbolhas que eclodem fragmentando a fibrose local; ação analgésica por intenso estímulo local, liberando enzimas locais que atuam na fisiologia da dor; e ação vascular que provoca uma congestão vascular e neoformação de vasos.

Há duas teorias básicas que explicam seu efeito benéfico no sistema musculoesquelético. Uma baseia-se em micro lesões que as ondas provocam no tecido-alvo (tendões, periósteo, osso esponjoso), sem danificar os tecidos adjacentes. Estas micro lesões funcionam como estímulo inicial para o processo de reparação.

A segunda teoria baseia-se na produção de óxido nítrico na área atingida pelas ondas de choque. Este óxido nítrico produzido desencadeia uma reação enzimática que estimula o crescimento vascular na área atingida. Reichmann lembra que este método deve ser prescrito somente por um médico que fará uma avaliação clínica de cada caso.“O tratamento não é invasivo e não há a necessidade de hospitalização”, explica o especialista.

Entre as alternativas para tratar artrose estão, ainda, a fisioterapia, o fortalecimento muscular e a prótese de joelho (substituição da articulação).

Francine Ferreira – Marcos Bedin

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.


Dengo Produtos de Limpeza
Marka final pauta
Coopera Rodapé

Portal Forquilhinha Notícias. Acompanhe os fatos mais importantes de Forquilhinha em Santa Catarina assim que eles acontecem.

Copyright © 2016 Forquilhinha Notícias.

Topo